Com Flu e Ceará de olho, Junior e Bolívar decidem vaga pela Pré-Libertadores

| |

Esta noite, será definido o último confronto ainda em aberto na difícil fase preliminar da Taça Libertadores 2021. Junior Barranquilla e Bolívar decidem, na Colômbia, qual competição continental cada um seguirá jogando no decorrer da temporada. O vencedor do confronto acessará a fase de grupos da Taça Libertadores, ao passo que aquele que sair derrotado entrará na Copa Sul-Americana.

A partida de ida, na Bolívia, acabou 2 a 1 para os donos da casa. Assim, o Junior precisará de um resultado simples de 1 a 0 para reverter a desvantagem e avançar, fazendo uso do gol qualificado. Um igual 2 a 1 para o time colombiano leva a decisão para os pênaltis.

O duelo concentrará olhares de todo o continente, por ser a decisão do último confronto preliminar antes da disputa da fase de grupos, mas terá atenção especial de duas equipes brasileiras. O Fluminense aguarda para saber quem será seu adversário na Libertadores, enquanto o Ceará conhecerá seu adversário restante na Sul-Americana.

Leia mais: Desde 2006, um brasileiro campeão da Libertadores não deixava escapar a Recopa

Fluminense/Libertadores…

O Grupo D da Libertadores, onde está o Fluminense, retornando após a última participação, em 2013, conta com o favorito River Plate e já com uma equipe colombiana, o Santa Fe.

Caso acesse o Junior Barranquilla, a equipe carioca terá pela frente dois adversários de um dos países mais competitivos do continente, inclusive tendo sido recentemente semifinalistas da Copa Sul-Americana, em 2018 – o Flu também esteve entre os quatro melhores da edição, que terminou com o título do Athletico em cima do Junior.

Em caso de avanço do Bolívar, o Tricolor das Laranjeiras terá, em tese, um adversário menos mordaz, mas terá de encarar o terror dos brasileiros: a altitude – que já encontrará em Bogotá, quando visitar o Santa Fe. Os clubes bolivianos jogam nas maiores elevações do continente.

Siga todas as partidas e resultados da Libertadores:

Copa Libertadores – Pré

Ceará/Sul-Americana…

De volta à Sul-Americana após dez anos, o Ceará está no Grupo C, o qual divide com Jorge Wilstermann e Arsenal de Sarandí. Os bolivianos são famosos pela altitude de Cochabamba, de 2.500 metros acima do nível do mar, enquanto que os argentinos já ostentam a taça da “Sula” em sua galeria. E, lembrando, apenas o primeiro colocado da chave avança às oitavas-de-final.

Então, o Vozão sabe que, independente daquele que se revelar seu terceiro adversário na chave, não terá vida fácil. Vice-campeão em 2018, com Yony González, hoje no time cearense, titular no ataque, o Junior Barranquilla representaria mais um adversário competitivo, especialmente jogando em sua casa, o Estadio Metropolitano. A não presença da torcida pode ser um facilitador para o Ceará.

Caso o Bolívar seja eliminado, no entanto, o Ceará terá um problema duplo com a altitude. Conforme já dissemos, o Wilstermann joga em um nível temível sobretudo para o Vozão – Fortaleza está praticamente ao nível do mar –, mas seu compatriota se supera: La Paz, capital boliviana e cidade do Bolívar, tem elevação de mais de 3.600 metros.

Siga todas as partidas e resultados da Sul-Americana:

Copa Sul Americana 2021

Assim, fica claro que, independente dos adversários, as equipes brasileiras terão que se preparar para receber desafios ainda maiores em suas já complicadas chaves nas competições continentais. A partir desta noite, com a definição do confronto entre colombianos e bolivianos, Fluminense e Ceará começarão a planejar o enfrentamento de seus novos adversários.

Anterior

Defesa do Botafogo, outrora confiável, simboliza queda de rendimento da equipe

Após paralisação, Lucas Batatinha crê em Inter de Limeira pronta para buscar reabilitação no Paulista

Próximo

Deixe um comentário

P