Decisivo pelo Coritiba, Robson desfruta de melhor fase da carreira aos 29 anos

A atuação do atacante Robson, do Coritiba, contra o Palmeiras, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, seguramente está entre as melhores do campeonato até aqui.

Com dois gols – um deles, de rara amostra de confiança – e uma assistência precisa para Giovanni Augusto marcar, Robson Fernandes foi o jogador mais festejado após a grande vitória do Coxa. Mas não é de hoje.

Com seis gols no Brasileiro, o atacante é o melhor marcador do Coritiba e ocupa a 7ª posição geral na artilharia do campeonato. Entre estes, vários decisivos, como a belíssima cobrança de falta contra o São Paulo, ou o pênalti que deu a vitória ao Coxa contra o Vasco.

O atleta também, no momento, é o terceiro maior finalizador do campeonato: foram 43 arremates em 16 jogos. Ao mesmo tempo em que é dono do maior número de finalizações erradas (28), tem um dos maiores números de tiros certos (15).

Números que, de tantas interpretações possíveis, trazem uma inegável conclusão: o jogador está confiante.

Mesmo atuando pelo Coritiba, time que carregava, antes da rodada, os piores índices ofensivos do campeonato, Robson não deixou de ter presença no ataque e chamar jogo. E, se antes passava despercebido, a enorme atuação no Allianz Parque trouxe os merecidos olhares nacionais.

Aos 39 anos, zagueiro Cleiton reforça o São José na Série C

Mas quem é este atacante que chama atenção?

Robson dos Santos Fernandes tem 29 anos. Natural de Campinas, deu os primeiros passos na Ponte Preta. Após rodar por diversos clubes do interior paulista, apareceu bem pelo Paraná na Série B 2016. Desempenho este que chamou a atenção do São Paulo, que, por empréstimo, deu-lhe a chance de jogar sua primeira Série A na carreira.

Com poucos jogos pelo Tricolor Paulista, o atacante retornou ao Paraná, ajudando a equipe a conquistar o acesso, em 2017. Em seguida, rumou ao futebol sul-coreano, voltando ao Brasil em 2019, quando chegou ao Coritiba, com a promessa de repetir o feito do rival.

Em um momento instável do Coxa na Série B 2019, em que o time perdeu a posição no G4, Robson chegou incumbido de decidir no ataque, e assim, por vezes, o fez. Após ser considerado um dos principais responsáveis pelo acesso coxa-branca, Robson mantém a grande fase e ajuda cada vez mais a equipe em 2020.

Murilo Demarch
Desde 2015, redator, revisor e editor em websites, responsável por criação de conteúdo e exploração de bases de conteúdos de sites nacionais e internacionais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas

Grupo H: Caracas-VEN se complica e tentará milagre para avançar

Os clubes venezuelanos têm raros momentos de brilho na Libertadores – desde 2016 não avançam para os...

Em jogo alucinante de duas viradas, Guaraní bate Bolívar e passa junto com Palmeiras no Grupo B

Já classificado, mas sonhando com a improvável primeira colocação do Grupo B, chave do Palmeiras, o Guaraní...

Goleado pelo Verdão, Tigre-ARG termina como pior da fase de grupos da Libertadores

Campeão da primeira edição da Copa da Superliga Argentina, competição que começou na última temporada, o Tigre...

Série D: América-RN vence a quinta seguida e lidera isolado o Grupo A3

Com participações recentes nas séries A e B do futebol brasileiro, mas na Série D há quatro...

Copa Sul-Americana 2020 tem os maiores campeões da Libertadores de Brasil, Argentina e Uruguai

Segundo principal torneio internacional da América do Sul, a Copa Sul-Americana ainda está em sua fase inicial...

Nacional e Racing querem primeira colocação no Grupo F da Libertadores

Racing-ARG e Nacional-URU não deram a menor chance para os adversários do Grupo F na Libertadores, Estudiantes-VEN...

Última Hora

Leia MaisRelacionado
Recomendamos