E agora? Saiba os cenários para Vasco, Bahia e Goiás se livrarem da degola

| | ,

Se ao início da 35ª rodada, ao olhar a parte baixa da tabela, era mais evidente a projeção de uma briga quádrupla contra a última vaga no Z-4, os resultados alteram a perspectiva. Os dois confrontos diretos entre equipes envolvidas no terço final do campeonato, bem como a grande vitória do Sport, levam alívio a uns e desespero a outros.

Os duelos…

A rodada foi aberta com o encontro entre Bahia e Goiás. Jogando em casa e na zona de rebaixamento, o Tricolor Baiano poderia ir a 39 pontos e, de quebra, abrir o que ao fim da jornada seriam sete pontos para o Esmeraldino – diminuindo significativamente as chances de permanência da equipe goiana.

No entanto, o empate em 3 a 3 estagnou o Bahia – apesar de tirá-lo da zona – e permitiu reavivar o Goiás no campeonato, que agora precisa de quatro pontos para deixar o Z-4.

Já na quarta-feira, o Sport mostrou que, de fato, quer se reestabelecer na elite. A vitória heroica e surpreendente sobre o líder Internacional, em pleno Beira-Rio, por 2 a 1, levou o Leão dos 38 aos 41 pontos.

Quem também alcançou tal pontuação foi o Fortaleza, ao aplicar sonoros 3 x 0 no Vasco, deixando o adversário direto na zona de rebaixamento, com os mesmos 37 pontos do Bahia.

A pontuação…

Sport e Fortaleza terminam a rodada em alta, somando 41 pontos, contra 37 de Bahia e Vasco, último fora e primeiro dentro do Z-4, e ainda 33 do Goiás, antepenúltimo colocado.

Assim, de acordo com a UFMG, para pernambucanos e cearenses as chances de degola se reduzem para 0,42% e 2%, respectivamente. Para as últimas vagas, baianos e cariocas passam a ser mais indicados – 50,8% e 55,1% de chances de rebaixamento –, além dos goianos, de expressivos 91,8%.

Os cenários…

Ainda é possível vermos reviravoltas na luta contra o rebaixamento. Não apenas citando a imprevisibilidade, presente na vitória do Sport sobre o Inter, por exemplo, mas considerando ainda a disputa de mais confrontos diretos até o fim da competição.

A pontuação considerada segura contra o rebaixamento continua sendo de 44 pontos, número em que há menos do que 1% de chances de degola. De acordo ainda com a UFMG, os riscos começam a se atenuar a partir dos 42 pontos – onde há um risco de apenas 15%, no momento.

Cumprir tabela ou buscar sobrevivência? Como o Coritiba vai a campo contra o Santos

Analisemos cada time em separado.

Bahia:

Atlético-MG (F)

Fortaleza (F)

Santos (C)

O Tricolor Baiano terá dois confrontos difíceis fora de casa – contra o Galo, que ainda precisa garantir a fase de grupos da Libertadores, e o Fortaleza, que vai motivado a erradicar qualquer risco de rebaixamento. Ao fim, na partida decisiva, receberá o Santos, que, provavelmente, irá motivado pelas chances de Libertadores.

A pontuação ideal será alcançada em caso de dois triunfos e um empate nos jogos finais. No entanto, cinco pontos podem ser razoáveis para o Esquadrão – a depender do desempenho dos concorrentes, é claro.

Vasco:

Internacional (C)

Corinthians (F)

Goiás (C)

Para o Vasco, não há cenário provável que ajude caso a equipe não enfrente um dos “problemas” nas últimas rodadas. No Z-4 momentaneamente, o Cruzmaltino terá de encarar o líder Internacional – claramente incomodado pela derrota para o Sport –, o Corinthians que persegue a Libertadores, e pode fazer um jogo decisivo em casa contra o Goiás.

Não apenas a pontuação, mas o emocional vascaíno precisa estar em alta para a partida decisiva contra o Esmeraldino. Para isso, não há segredo além de um bom rendimento nas próximas rodadas.

Caso venha a ficar empatado com o Bahia, como está no momento, o Vasco precisará superar o adversário em dois quesitos nos quais perde atualmente: o número de vitórias (10 a 9) e o saldo de gols (-18 a -17).

Goiás:

Botafogo (C)

Bragantino (C)

Vasco (F)

O pulso ainda pulsa: o fato de o Goiás poder enfrentar o já rebaixado Botafogo, na 36ª rodada, conspira para uma vitória Esmeraldina que colocaria fogo no campeonato. Assim, a equipe faria uma pressão adicional a Bahia e Vasco, que têm compromissos difíceis na mesma rodada. Ou seja, a diferença para os dois poderá, na melhor das hipóteses, cair para apenas um ponto.

As dificuldades maiores virão pelo confronto contra o Bragantino, vivo na briga pela Libertadores, e contra o Vasco, em São Januário, onde o Goiás, sem dúvidas, jogará a vida, caso uma vitória signifique ultrapassar o adversário.

Anterior

Cumprir tabela ou buscar sobrevivência? Como o Coritiba vai a campo contra o Santos

Argentina: Palavecino e Martínez assinam com o River Plate

Próximo

Deixe um comentário

P