Em jogo antológico, Olimpia goleia, desbanca o Táchira e passa junto com o Inter

| |

Na noite desta quarta-feira, o Grupo B da Copa Libertadores foi resolvido no Brasil e no Paraguai. Enquanto o Inter, que precisava apenas do empate e não saiu dele com o Always Ready no Beira Rio, garantiu a primeira colocação da chave, toda a emoção foi reservada para a partida no Manuel Ferreira.

Em um jogo daqueles que sobram – e ao mesmo tempo faltam – adjetivos para descrever, o tricampeão sul-americano Olimpia bateu o Deportivo Táchira por 6 a 2 após várias reviravoltas, atingiu a diferença de gols necessária para descontar o saldo de gols do adversário e o ultrapassou na tabela, ficando com a segunda vaga para as oitavas-de-final.

Siga todas as partidas e resultados da Libertadores:

Copa Libertadores

Leia mais:

Crônica do jogo (e que jogo!):

Como frisado anteriormente, o Grupo B estava em grande equilíbrio e, para nele se sobressair, era preciso fazer algo diferente. E, na rodada anterior, a diferença foi feita pelo Táchira, na goleada sobre o Always Ready. Assim, a situação do time venezuelano ficou favorável na chave: só perderia a vaga caso sofresse uma derrota por quatro ou mais gols de diferença em Assunção.

Com a missão de vencer por quatro gols de diferença, o Olimpia botou o time para frente no início da partida. Aos 24’, o capitão Richard Ortiz abriu os caminhos.

O ritmo paraguaio continuou intenso e, logo depois, aos 31’, foi a vez de Quintana ir às redes. Vantagem de 2 a 0 para os mandantes, que se estendeu até o intervalo graças ao goleiro Varela, que evitou maior prejuízo para os visitantes.

O time paraguaio estava a um gol de se igualar ao venezuelano no saldo de gols (-2), mas ainda ficaria atrás no quesito gols pró. Por isso, a tarefa na segunda etapa era ampliar o placar o quanto antes, para sair em pressão total pelo gol da heroica classificação.

E o enredo obedeceu aos anseios: logo aos 55’, a bola bateu no braço de Trejo dentro da área, pênalti para o Olimpia.

Derlis González cobrou com perfeição e marcou o terceiro do Decano. A remontada, que já era uma possibilidade real, estava desenhada de vez. Em 55 minutos de jogo três gols do Olimpia, sendo que seriam pelo menos mais 40 minutos para apenas mais um.  

Mas na sequência… surpresa! Aos 60’, Covea cobrou falta venenosa e Trejo, que havia acabado de cometer o pênalti, desviou e matou o goleiro Aguilar. 3 a 1 no placar, Táchira diminuindo, ganhando moral novamente no jogo e reafirmando sua condição no grupo. Já para o Olimpia, o jogo virou num drama de vez.

Assim, teve de ir atrás de dois gols novamente. E, para esquentar ainda mais, novo ânimo para o Olimpia: aos 66’, Flores, o capitão do Táchira, levou segundo amarelo, deixando o time paraguaio em vantagem numérica.

E o efeito foi quase instantâneo: três minutos depois, Pitta, que havia acabado de entrar, fez o quarto do time da casa, para terminar de ferver o jogo. Voltava a precisar de um gol o Decano.

Como assim? Um minuto depois, o mesmo Pitta marcou o quinto! Se camisa pesa, acabara de acontecer a favor do tricampeão. A sorte ajudou: a bola bateu nas costas de Varela, tocou na trave e morreu de mansinho nas redes. Na súmula, foi creditado o gol contra do goleiro venezuelano. Que capricho!

Mas a coisa não acabaria aí: aos 75’, Angarita, que também havia acabado de entrar, marcou o segundo do Táchira e devolveu a vaga para as mãos venezuelanas. Absolutamente incrível.

Mas não dava para respirar: aos 81, o capitão Ortiz apareceu de novo, desta vez acertando um chutaço de fora da área, no cantinho do goleiro, pra colocar nas mãos do time paraguaio de novo. O que mais dá para dizer? Espetacular!

Era um roteiro de drama premiado. Aos 88’, Otalvaro tomou o vermelho e deixou o Olimpia também com dez em campo. Com igualdade numérica, o Táchira iria para cima para buscar o gol da classificação. Sete minutos de acréscimos. Só faltava…

Mas parou por aí. Estava escrita, em um jogo homérico, uma das mais belas páginas da história do gigante sul-americano Olimpia. E a imagem que ficou foi de Ortiz, o capitão paraguaio, que se agigantou, primeiro para tirar o zero do placar, depois para consolidar o fim da missão. O milagre de Assunção.

Como ficou…

Com 9 pontos e -1 de saldo, o Olimpia passou em segundo lugar no Grupo B. Agora, a equipe paraguaia irá enfrentar um primeiro colocado nas oitavas de final. Entre possibilidades até aqui, são quatro equipes brasileiras: o atual campeão Palmeiras, o próprio Inter, com quem dividiu o grupo, além de Fluminense e Atlético-MG, que já enfrentou em 2013, eliminando o primeiro nas quartas e perdendo a decisão para o segundo.

Anterior

Defensa y Justicia x Independiente del Valle: Prognostico 6ª rodada Libertadores

Após título estadual, Klenisson crê em Altos-PI embalado para estreia na Série C do Brasileiro

Próximo

Deixe um comentário

P