Fluminense tem história recente marcante contra argentinos em Libertadores

| |

O Fluminense volta a disputar a Taça Libertadores após oito anos. Na última participação, em 2013, o Tricolor Carioca foi às quartas-de-final, e não encontrou nenhum adversário argentino, como o desta noite, no Maracanã: o River Plate.

Esta será a primeira partida oficial do Flu contra os Millonarios. Anteriormente, as equipes disputaram amistosos, em 1964, 1972 (2x) e 1981, com amplo equilíbrio: dois empates e uma vitória para cada lado. De forma oficial, o Tricolor teve outros adversários Hermanos pelo caminho, mais frequentemente num recorte recente.

Leia mais: Grêmio volta à Sul-Americana após nove anos; relembre participações

Os primeiros encontros foram na Libertadores de 1985. Campeão brasileiro de 84, o Flu, junto ao vice-campeão Vasco, dividiu o Grupo 1 com os dois melhores argentinos: Argentinos Juniors e Ferro Carril Oeste. Na ocasião, vexame carioca ente as equipes buenairenses: Flu e Vasco não venceram uma partida sequer. O Tricolor perdeu nas duas vezes em que foi à Argentina, e sofreu outra derrota para o Argentinos no Maracanã, arrancando apenas um empate contra o Ferro.

A equipe só voltou a disputar a principal competição sul-americana em 2008, e aí o retrospecto contra os argentinos melhorou. Após aplicar sonoros 6 a 0 no Arsenal de Sarandí pela fase de grupos, o Flu caminhou até as semifinais, onde encontrou o gigante Boca Juniors. Após segurar o 2 a 2 em La Bombonera, o Tricolor, diante de uma festa incrível no Maracanã, bateu os Xeneizes por 3 a 1 e foi à inédita final.

Após bater na trave em 2008, o Flu voltou a mirar o título em 2011. Foi deste ano que saiu o mais icônico dos confrontos da equipe contra argentinos. Novamente o Argentinos Juniors foi adversário na fase de grupos. Na última rodada, o Tricolor precisava, imprescindivelmente, vencer o Bicho no estádio Diego Armando Maradona, por uma diferença de mais de um gol, para pegar a 2ª colocação e avançar.

Em um jogo duríssimo, o Fluminense desafiou a lógica e, de forma milagrosa, fez 3 a 2 na reta final e, aos 43 do segundo tempo, Fred cobrou pênalti e decretou os 4 a 2. O Argentinos não aceitou e as “cenas” foram inevitáveis:

Em 2012, foram logo dois adversários na fase de grupos, os já conhecidos Boca Juniors e Arsenal de Sarandí. Contra eles, uma derrota e três vitórias, uma delas, histórica: 2 a 1 sobre o Boca dentro de La Bombonera – apenas quatro brasileiros haviam conseguido tal feito. No entanto, o mesmo Boca seria responsável pela eliminação tricolor nas quartas-de-final. O Flu devolvia, no Engenhão, o 1 a 0 desfavorável que carregava, desta vez, de La Boca. No finalzinho do jogo, no entanto, o time argentino empatou e tirou o Fluminense.

Siga todas as partidas e resultados da Libertadores:

Copa Libertadores – Pré

Grandes histórias, vitórias e derrotas simbólicas: esta é a caminhada do Fluminense contra as equipes do mais icônico entre os países vizinhos. Mesmo relativamente curta, é recheada de expressivos confrontos. Em 2021, terá tudo para esta lista engrossar, com um adversário inédito: vem aí o River Plate.

Além do River, o Flu divide o Grupo D com os colombianos do Santa Fe e Junior Barranquilla.

Anterior

Grêmio volta à Sul-Americana após nove anos; relembre participações

Flamengo, Palmeiras e São Paulo largam bem e contam com a sorte em seus grupos

Próximo

Deixe um comentário

P