Goiás reage no returno, mas não evita rebaixamento; relembre campanha

| |

Com o empate em casa com o RB Bragantino, na Serrinha, neste domingo, o Goiás amargou matematicamente seu sexto rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro. A campanha do segundo turno era até então regular, mas o péssimo início pesou contra a equipe.

O Esmeraldino foi a seu quarto empate nas 18 partidas disputadas no segundo turno do campeonato. No mais, foram sete vitórias e sete derrotas, constituindo um aproveitamento de 46,30%, correspondente à 12ª colocação do returno.

O primeiro turno, no entanto, foi um dos piores de toda a história dos pontos corridos com 20 times – desde 2006 –, o que decidiu a degola esmeraldina. Vamos relembrar:

O infortúnio do surto:

As dificuldades para o Goiás começaram, literalmente, no primeiro dia de competição. A partida de estreia da equipe, contra o São Paulo na Serrinha, foi impedida de ser realizada devido a um surto de Covid-19 no elenco. Ademais, o Esmeraldino teve de encarar as primeiras rodadas do campeonato repleto de desfalques.

Cinco derrotas nos sete primeiros jogos, além da perda da vaga na 4ª fase da Copa do Brasil, após ter vencido o Vasco em São Januário, antes da pandemia.

Thiago Larghi tentou…

Quando o trabalho de Ney Franco se fez insuficiente para o Esmeraldino, a contratação de Thiago Larghi prometia uma grande melhora. De fato, pontos vieram com o ex-Atlético-MG – incluindo uma vitória sobre o Internacional, então líder.

No entanto, desencontros entre os métodos propostos por Larghi e ideias da diretoria do clube acarretaram na demissão do treinador com apenas 38 dias no comando. Enderson Moreira foi o substituto, dirigindo a equipe pelos próximos 10 jogos, sem vencer nenhum.

Reação conjunta:

Após o primeiro turno desastroso, o Goiás inovou e apostou em uma dupla na comissão técnica: Glauber Ramos e Augusto César assumiram na 22ª rodada da competição, em meio ao caos: a equipe era a lanterna isolada da competição, com apenas 12 pontos conquistados.

Sob o comando dos dois interinos, o Esmeraldino venceu sete partidas (até então, só havia conquistado duas vitórias). A reação reabilitou a equipe na competição, permitindo chances de escapar da degola até a penúltima rodada.

Clube português pode ceder três atletas para clubes da Série B

Confrontos diretos…

Em um campeonato de pontos corridos, quando se perde o principal objetivo por pouco, é natural pesquisar toda a campanha, encontrando detalhes que impediram o sucesso.

No caso do Goiás, destacam-se duas equipes, Bahia e Fortaleza. Equipes que o Esmeraldino não conseguiu bater na competição (dois empates contra os baianos e um empate e uma derrota para os cearenses), somam na tabela 41 pontos, um a mais do que a equipe goiana poderá alcançar ao fim do campeonato.

Qualquer que tivesse sido uma simples vitória contra uma destas equipes, deixaria o Goiás na porta do Z-4, podendo deixar esta mesma equipe para trás ao final da última rodada, nesta quinta-feira.

Última parada…

O Goiás encerra sua participação contra o Vasco, outro virtual rebaixado.

Anterior

Avassalador, Guaraní atropela Royal Parí e dá passo gigante rumo à 2ª fase da Libertadores

São Paulo x Flamengo: Jogo ao Vivo 25/02/2021

Próximo

Deixe um comentário

P