Connect with us

Marco Angulo

Published

on

Temporada: 2021 / Todos
Games Played
0
/ 0
Games Started
0
/ 0
Gols
0
/ 0
Assistências
0
/ 0
Total de Estatísticas
Competição
Últimos jogos
DataParaContraMandante/VisitanteResultado
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasileiro Série B

Avaí amarga segundo empate consecutivo contra equipes próximas ao Z-4

Após empatar com o Brasil de Pelotas por 1 a 1, Avaí embala segundo empate consecutivo na Série B, contra o Vitória.

Published

on

Em Salvador (BA), o Avaí fica no 0 a 0 com o Vitória. Resultado configura o segundo empate consecutivo da equipe na Série B

Em meio a um campeonato disputado com unhas e dentes, o Avaí se encontra na 4ª posição da Série B 2021, com 26 pontos conquistados. Contudo, a equipe catarinense titubeou, novamente, pela segunda vez consecutiva na tarde deste sábado (31). Longe de casa, no Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador (BA), o Leão da Ilha empatou em 0 a 0 com o Vitória, 15° colocado.

Apesar do ponto somado em uma partida como time visitante, a agremiação de Florianópolis (SC), de certo modo, tem tudo para lamentar o resultado. Sob o mesmo ponto de vista, esse não foi o primeiro resultado amargo para a equipe comandada por Claudinei Oliveira. O empate contra o Leão da Barra configura-se como a segunda partida consecutiva contra clubes que brigam contra o rebaixamento.

Anteriormente, no dia 25 de julho deste ano, pela 14ª rodada da Segundona, o Leão da Ilha precisou buscar o empate, dentro de casa, contra o Brasil de Pelotas. Hoje na 16ª colocação, na porta de acesso ao Z-4, o Xavante encontrava-se dentro do grupo de times com piores desempenhos na competição.

Três pontos do Avaí esbarraram na péssima atuação da arbitragem

Dos últimos seis jogos contra o Vitória, o Avaí venceu três. Do mesmo modo, não perde para o time baiano desde o dia 29 de setembro de 2012. Ou seja, há pouco menos de nove anos. O terceiro empate nesse período aconteceu hoje. Todavia, com atuação superior no Barradão, o Leão da Ilha bravou com a falta de marcação da arbitragem acerca de dois pênaltis.

Se por um lado, o elenco do O Time da Raça que viajou à primeira capital do Brasil terminou a partida insatisfeito com o desempenho do árbitro Ivan da Silva Guimarães Junior, por outro pôde ficar satisfeito com a atuação dos jogadores em campo. No primeiro tempo, criou duas chances de gol, com Serrato e Vinícius Leite. Por fim, na etapa complementar, Copete quase decreta o triunfo longe da Ressacada.

Secador ligado para os adversários na 15ª rodada

O empate sem gols na capital baiana proporcionou ao Avaí a distância por dois pontos do 5° colocado, o CRB, que tem 24 pontos. No entanto, a equipe catarinense ainda pode perder a vaga no seleto grupo dos que obtém o acesso no final da temporada. Isso porque, o Galo ainda pode ultrapassar o Leão da Ilha, já que entra em campo nesta rodada, neste domingo (1), às 18h15, contra a Ponte Preta, no Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

Agora, sem tempo para lamentar, o Avaí precisa buscar os pontos perdidos na Série B contra equipes da parte debaixo da tabela no próximo sábado (7). Pela rodada de número 16, a equipe catarinense encara o CSA, às 19h, no Estádio Rei Pelé. Já o Vitória enfrenta o Vasco, no Barradão, às 19h30.

Continue Reading

Copa do Brasil

Fluminense usa inícios das duas etapas para construir remontada sobre o Criciúma

Published

on

O Fluminense é o primeiro classificado para as quartas-de-final da Copa do Brasil. Na definição do confronto com o Criciúma, adiantado para este sábado (31), no Maracanã, o Tricolor marcou um gol na primeira etapa e dois na segunda, sempre antes dos dez minutos, e reverteu a vantagem construída pelo time catarinense na última terça-feira, de 2 a 1.

Logo no início de jogo, Manoel abriu os caminhos para o time da casa. No segundo tempo, as pratas da casa brilharam: Gabriel Teixeira e Luiz Henrique marcaram seguidamente e transformaram a missão em um jogo tranquilo para o Tricolor. Equipe apenas assiste ao desfecho dos outros confrontos, no meio de semana, enquanto vira a chave para a Libertadores.

Pós-jogo:

O Fluminense utilizou bem os minutos iniciais dos dois tempos para abrir caminhos e depois liquidar a vaga para as quartas-de-final. Contra um Criciúma que raramente ofereceu perigo, o time de Roger Machado corrigiu algumas das falhas da primeira partida, no Heriberto Hülse, e construiu a reversão do placar agregado a partir de um bom aproveitamento das oportunidades de ataque.

A equipe de Paulo Baier não viu chances para exercer sua estratégia de jogo. Se, ao início da partida, tentaria se defender ao máximo e deixar o nervosismo para o lado Tricolor, não funcionou – o primeiro gol veio logo aos quatro minutos. No segundo tempo, tentaria controlar a partida e agredir gradualmente, mas foi logo surpreendido pelo baque e, na sequência, o golpe final. O Tigre se atordoou e só foi esboçar reação quando o tempo já era insuficiente.

Crônica do jogo:

A pressão inicial do Fluminense era praticamente um protocolo a ser cumprido no Maracanã, mas nem os mais otimistas dentre os tricolores a imaginariam já transformada em gol. O zagueiro Manoel aproveitou bom cruzamento de Egídio e cabeceou firme para abrir o placar aos 3 minutos de jogo.

Empolgados com o grande início, os torcedores tricolores tampouco esperavam a queda de ritmo da equipe após o gol marcado, que apenas levava a disputa para os pênaltis. O Criciúma começava a se criar na partida, incomodando a defesa do Flu com algumas bolas lançadas na área.

Com o andar da primeira etapa, a partida se amornou, de modo a não agradar a nenhum dos dois lados, uma vez que definir nas penalidades não era uma situação desejável. As escassas oportunidades vinham majoritariamente pelo lado da casa, mas sem real perigo.

Aí veio a segunda etapa e o Fluminense mostrou que a conversa de Roger Machado no vestiário rendeu, especialmente os meninos de Xerém: logo aos 7’, Luiz Henrique rolou e Gabriel Teixeira chegou batendo colocado, da entrada da área, para vencer Gustavo.

Dois minutos depois, Teixeira roubou a bola no meio, lançou para Fred, que rolou para Luiz Henrique no fundo chegar batendo, surpreendendo o goleiro do Tigre. 3 a 0 no Maracanã, colocando 4 a 2 no agregado, situação praticamente resolvida para o time da casa.

Com a situação controlada, o Flu diminuiu a exposição para o Criciúma, que se mexeu para reagir, mas pouco fez para chegar ao gol adversário. A situação para o time catarinense só foi melhorar a partir dos 40 minutos da etapa complementar. Logo após PH perder grande chance, Manoel foi expulso.

A expulsão deixava uma impressão de jogo indefinido, da qual o Tigre poderia se aproveitar para agredir o Tricolor, buscando colocar fogo na partida. Mas o Fluminense segurou bem a onda e carregou a vantagem tranquilo até o fim, celebrando a vaga.

Escalações:

Fluminense: Marcos Felipe; Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Martinelli, Yago  Felipe (André), Nenê (Ganso), Luiz Henrique (Lucca) e Gabriel Teixeira (Kayky); Fred (Abel Hernández). Técnico: Roger Machado.

Criciúma: Gustavo; Alemão Teixeira (Claudinho), Rodrigo, Marcel e Hélder; Dudu Vieira, Eduardo, Dudu Figueiredo (Gabriel Henrique) e Felipe Mateus (Maranhão); Hygor (PH) e Marcão. Técnico: Paulo Baier.

Definições:

Primeiro classificado às quartas-de-final, o Fluminense passará a pensar na Copa Libertadores, em que, nesta terça-feira, no mesmo Maracanã, a missão é segurar o Cerro Porteño para avançar às quartas também a nível continental.

Em paralelo, acompanhará o desfecho dos outros sete confrontos para conhecer os possíveis adversários da fase seguinte da Copa do Brasil. A definição do oponente tricolor virá mediante sorteio.

Continue Reading

Brasileiro Série B

Mais tímido da Série B até então, ataque do Vila Nova desencanta contra o Guarani

Published

on

O Vila Nova goleou o Guarani em pleno Brinco de Ouro, na manhã deste sábado (31) pela 15ª rodada da Série B. A vitória por 4 a 1 foi a primeira em quatro jogos para o Tigre, que subiu uma posição na tabela e abriu vantagem para as equipes da zona de rebaixamento. O Bugre, por sua vez, sofreu a segunda goleada consecutiva e perdeu a oportunidade de entrar no G-4.

Dudu e Henan marcaram golaços e Renan Mota ampliou ainda na primeira etapa para o Vila. No final, Éder Monteiro ampliou a vantagem para o ataque que, pela primeira vez na Série B, venceu por margem maior do que um gol. Allanzinho, já no último lance, descontou para o Guarani.

O ataque desencantou…

A expressiva vitória tem tudo para servir como um divisor de águas na vida do Vila Nova nesta Série B. O ataque que havia produzido meros sete gols nos primeiros 14 jogos, ampliou a quantidade em mais de 50%. Aproveitando os contra-ataques e a fraqueza do setor defensivo bugrino – como já fizera de forma semelhante o Vasco, na rodada anterior –, o time goiano abandonou os piores números de ataque da competição. Com 11 gols, se igualou a Vitória e Confiança (ainda jogam na rodada) e superou Remo, Londrina e Ponte Preta.

E tudo isso contra o Guarani, elogiado justamente pela capacidade ofensiva – melhor da competição ao lado do Náutico –, mas que não conseguiu converter as oportunidades em gol para mudar a história da partida. Com 26 arremates para o gol vilanovense, o Bugre viu o goleiro Giorgemy salvar parte das finalizações, outra parte ter erros na definição.

Mais gols versus menos gols…

O duelo pôs frente a frente as equipes com o maior e o menor número de gols combinados nesta Série B. O Guarani, que tinha 41 (ao lado do CRB) e o Vila, com apenas 17. Enquanto as partidas do Bugre eram recheadas de gols, o 0 a 0 era o resultado mais comum do Tigre. Restava ver qual tendência a partida seguiria.

E seguiu a do Guarani, mas para benefício do Vila: o ataque eficiente do time paulista não apareceu, mas a defesa inconstante foi decisiva para a goleada. Pelo lado goiano, a defesa sólida foi crucial para garantir a vitória, mas nem o ataque tímido esperava oportunidade de produzir tamanho feito.

Definições:

Equipes acompanharão o desfecho da 15ª rodada para definir suas posições finais, até que voltem a entrar em campo. O Guarani, sexto colocado, poderá perder até três posições, caso o Vasco pontue e Brusque e Sampaio Corrêa vençam. Já o Vila Nova, 13º, torce por tropeço do Remo para se manter na colocação e, preferencialmente, por derrotas de Ponte Preta, Brasil-RS e Vitória, para se manter numa distância considerável do Z-4 – a qual é de seis pontos neste momento.

Em campo, o Guarani volta ao Brinco de Ouro na sexta-feira para encarar o Brasil-RS. O Vila Nova retorna para Goiânia, onde receberá o Sampaio Corrêa, no sábado.

Continue Reading

Jogos

Trending

P