Mato Grosso: entre a animação com o Cuiabá e a tristeza pelo Luverdense

| | ,

Os mais antigos têm como recordação do futebol mato-grossense, discreto no cenário nacional, as aparições de Mixto, Dom Bosco e Operário na chamada Taça de Ouro, enfim, o equivalente à elite.

Na história recente, dois jovens cheios de vigor roubaram a cena: o Cuiabá, fundado em 2001 e o Luverdense, de 2004.

Juntos, arremataram 12 títulos estaduais de 2003 para cá, além de tornarem o Mato Grosso o estado mais bem sucedido na Copa Verde (3 títulos) e chegarem à Série B do Campeonato Brasileiro.

Logo, tornaram-se os clubes mais importantes do estado, constituindo o clássico ‘Ouro-Verde’, transformado na maior atração local.

Apesar das semelhanças na rápida ascensão e futuro promissor, o presente é oposto.

CBF anuncia premiação de Jogador do Mês para Brasileirão Assaí e Série B

O Cuiabá, com o empate desta terça-feira contra o Botafogo em Ribeirão Preto, é líder da Série B mesmo com um jogo a menos, sendo a esperança de Mato Grosso retornar à primeira divisão nacional após 33 anos.

Já o Luverdense, em plena crise financeira, desistiu de disputar a Série D em 2020 e só tem previsão de voltar a campo quando o Campeonato Mato-Grossense for retomado. Com indícios de reinício em dezembro, o estadual terá um ‘Ouro-Verde’.   

Retrospectiva: Luverdense relembra fatos históricos e grandes nomes de sua breve, porém intensa história. Tiago Nunes, um dos treinadores do momento, fez parte

Enquanto os dourados vivem as realizações do presente, aos alviverdes resta recordar as grandes histórias desses 16 anos.

In memoriam: Luís Carlos Tóffoli, o Gaúcho, fundador e ex-assistente do Cuiabá, com passagem como treinador pelo Luverdense. Como jogador, fez sucesso por Flamengo e Palmeiras.

Anterior

Bahia x Ceará: Prognóstico, Placar Ao Vivo e Onde Assistir o Jogo

Série C: Ferroviário repete 2019 e vê classificação ameaçada ao fim da 1ª fase

Próximo

Deixe um comentário

P