Parceiros no Flu em 2019, Luciano e Brenner comandam ataque do São Paulo no Brasileirão

No ano passado, Brenner e Luciano eram algumas das opções ofensivas do técnico Fernando Diniz no Fluminense. A parceria dos dois durou muito pouco, já que Luciano acabou negociado com o Grêmio alguns meses após a chegada de Brenner. Porém, neste ano, os dois voltaram a atuar juntos e se tornaram a principal referência ofensiva do São Paulo – com o mesmo Fernando Diniz como técnico.

Eles são os artilheiros do Tricolor no Campeonato Brasileiro. Luciano já balançou as redes 4 vezes, e Brenner já marcou 2 vezes (está empatado com Gabriel Sara). Juntos, tiveram participação direta em mais de 60% dos tentos anotados pelo São Paulo na maior competição do país, contando também assistências.

Mais do que os números indicam, os dois assumiram um papel de protagonismo enorme no ataque do clube paulista. Com as saídas de Antony (vendido ao Ajax) e Alexandro Pato (que teve o contrato rescindido), além das lesões de Pablo e Rojas, o técnico Fernando Diniz se viu diante de pouquíssimas opções para montar o setor ofensivo da equipe, e os dois atacantes vêm correspondendo quando escalados.

Também chamam a atenção pela polivalência. Tanto Luciano quanto Brenner podem atuar pelos lados do campo e como centroavantes, o que aumenta o leque de opções de Diniz na hora de escalar o time, sobretudo com tantas ausências no setor ofensivo.

Jogadores crescem de rendimento

Além da importância que têm em campo para o São Paulo, Luciano e Brenner estão tendo a oportunidade de reerguer a carreira, já que os números até aqui são melhores do que os do Campeonato Brasileiro passado.

Em 2019, Luciano balançou a rede 7 vezes em 22 partidas, uma média de 1 gol a cada 3 jogos disputados. Neste ano, tem 4, mas são apenas 8 jogos, o que eleva a média de gols para 1 a cada 2 partidas.

A evolução de Brenner é ainda mais evidente: no ano passado, ele disputou apenas 6 partidas pelo Fluminense e não marcou um gol sequer, nem deu assistências. Neste ano, em cinco jogos até aqui, o atacante soma dois gols e uma assistência, além de participação direta em outro tento anotado pelo São Paulo.

Como chegaram ao Tricolor?

Brenner é cria das categorias de base do clube. Foto: Divulgação/Rubens Chiri

Luciano foi o único reforço do São Paulo em toda a temporada. Ele foi contratado em uma troca com o Grêmio envolvendo o meia-atacante Everton. Logo em sua estreia, diante do Bahia, o atleta de 27 anos fez o gol que garantiu o empate por 1 a 1 no Morumbi e deu sobrevida ao trabalho do técnico Diniz.

De lá pra cá, Luciano atuou em todas as partidas como titular, e também deixou sua marca contra Athletico Paranaense, Fluminense e Red Bull Bragantino. Contra o Atlético Mineiro, teve um gol anulado de forma polêmica pelo VAR. Além dos gols, deu o passe para o tento de Pablo que garantiu a vitória diante do Sport, na Ilha do Retiro.

Luciano é o artilheiro do São Paulo no Brasileirão, mas será desfalque em três jogos da Libertadores por suspensão – ele estava envolvido na briga entre jogadores de Grêmio e Internacional pela segunda rodada, quando ainda defendia o Tricolor Gaúcho.

Já Brenner tem um passado mais longo com a camisa do São Paulo. Cria de Cotia (categoria de base do clube), estreou pelo time profissional em 2016, e apesar de ter feito alguns jogos como titular, nunca engatou uma boa sequência. No ano passado, foi emprestado ao Fluminense, e retornou ao São Paulo nesta temporada – onde reencontrou Fernando Diniz.

O jovem de apenas 20 anos assumiu o papel de “salvar” o São Paulo em momentos complicados. Seu primeiro gol na temporada foi contra o Novorizontino, pelo Campeonato Paulista. Na ocasião, Brenner saiu do banco e garantiu o empate por 1 a 1 (em jogo marcado por erros de arbitragem contra o São Paulo).

Mas foi no Brasileirão que o atacante de fato despontou. No clássico contra o Corinthians, Brenner também saiu do banco e, no fim do jogo, anotou o gol de cabeça que deu a vitória ao São Paulo por 2 a 1 no Majestoso. Uma semana depois, ele também entrou no segundo tempo e empatou a partida contra o Fluminense, além de assistência para Vitor Bueno na vitória por 3 a 1.

Brenner carrega o estigma de ser “carrasco” do Corinthians, o que faz com que o atacante ganhe pontos com a torcida. Ele já castigou o alvinegro em três oportunidades – ninguém no atual elenco tem mais gols contra o rival.

Luciano também tem relação com o Timão, mas de outra forma. Ele foi jogador do Corinthians entre 2014 e 2016, e chegou a marcar contra o Tricolor em uma partida do Campeonato Brasileiro em 2015. Porém, o atacante faz parte um seleto grupo de jogadores que jogaram pelo alvinegro e depois chegaram ao São Paulo – recentemente, também foi assim com Leandro, Luizão, Petros, Anderson Martins, Alexandre Pato, entre outros.

Independentemente do passado, o fato é que Luciano e Brenner são as principais peças do ataque do São Paulo neste momento, e serão de extrema importância até o final da temporada. Se a parceria no Fluminense foi por pouco tempo, no Tricolor Paulista ela tem tudo pra durar bastante…

Bruno Lopes
Jornalista com pós-graduação em jornalismo esportivo. Possui uma página no Facebook sobre futebol europeu (Futebol Europeu e Dados) e participou por quatro anos do programa 'No Mundo da Bola', da rádio Jovem Pan.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas

Bom pra ninguém: Chape e CSA ficam no empate em partida isolada

Chapecoense e CSA não saíram do zero na noite desta terça-feira, na Arena Condá, em Chapecó-SC.

Ex-São Paulo e Santos, Bruno Uvini rescinde com clube árabe e fica sem contrato

Nesta segunda-feira, o Al-Ittihad-ARA, clube dirigido por Fábio Carille e dos brasileiros Marcelo Grohe, Bruno Henrique (ex-Palmeiras)...

Buscando frear queda brusca, Paraná recebe lanterna Oeste

A sequência recente do Paraná de sete jogos sem vencer na Série B (cinco empates – Brasil-RS,...

Palmeiras só enfrentou dois times do Equador na Libertadores neste milênio

O Palmeiras conheceu o Delfin-EQU como adversário das oitavas de finais da Copa Libertadores. E apesar de...

Grupo H: Caracas-VEN se complica e tentará milagre para avançar

Os clubes venezuelanos têm raros momentos de brilho na Libertadores – desde 2016 não avançam para os...

Em jogo alucinante de duas viradas, Guaraní bate Bolívar e passa junto com Palmeiras no Grupo B

Já classificado, mas sonhando com a improvável primeira colocação do Grupo B, chave do Palmeiras, o Guaraní...

Última Hora

Leia MaisRelacionado
Recomendamos