Ponte: Série B termina em alta, oscilações impediram o acesso; relembre campanha

| |

Ataque eficiente, defesa vazada; vitórias convincentes, tropeços incabíveis; tida como clara favorita ao acesso no início da temporada após uma bela recuperação no Campeonato Paulista, a Ponte Preta oscilou durante toda a temporada e acabou terminando por alguns pontos fora do G-4. Nem mesmo a sonora goleada sobre o Figueirense, na despedida da competição, parece ter animado a torcida da Macaca, incomodada com o rendimento geral da equipe ao longo das 38 rodadas.

Os 7 a 2 sobre o já rebaixado Figueirense, em pleno Orlando Scarpelli, realça o eficaz ataque pontepretano, dono de 54 gols – o melhor da competição. Porém, a diferença de cinco gols se encaixa na derrota sofrida, dentro da própria casa, para a Chapecoense, na 17ª rodada. E a defesa, por sua vez, terminou como a 3ª mais vazada, ao lado de Guarani e Avaí, com 49 gols.

Três treinadores comandaram a Macaca ao longo da campanha: João Brigatti, que obteve 53% de aproveitamento, Marcelo Oliveira, com aproveitamento de 38% e o interino Fábio Moreno, com 60%. Dono do melhor rendimento, Moreno conseguiu, nos 11 jogos em que esteve à frente da equipe, seis vitórias e dois empates. Esteve à beira do campo na vitória sobre o rival Guarani no primeiro turno, entre a saída de Brigatti e a vinda de Oliveira, e, posteriormente, assumiu de vez na 29ª rodada, com a equipe na 9ª colocação.

Faltou pouco! Sampaio Corrêa termina a quatro pontos do acesso

Tropeços na própria casa…

Alguns resultados pesaram contra a Ponte, sobretudo em jogos disputados no Moisés Lucarelli: possuindo apenas a 8ª melhor campanha como mandante – rendimento aquém do costumeiro para equipes promovidas – a Macaca perdeu oportunidades de conquistar pontos importantes em seus domínios.

Por exemplo, empates contra Brasil de Pelotas e Sampaio Corrêa, em que a equipe saiu atrás, ou Operário e Cuiabá, em que permitiu o empate – neste último, a Ponte ficou à frente na reta final e sofreu o empate quatro minutos depois.

Derrotas dentro de casa foram apenas três, mas suficientemente importantes. Duas delas, para os concorrentes diretos Juventude e Avaí, acarretaram nas demissões de João Brigatti e Marcelo Oliveira, consequentemente. A outra delas, a supracitada goleada acachapante para a Chapecoense.

Gols…

Com os sete gols sobre o Figueirense, a Macaca terminou o campeonato com o ataque mais positivo da competição. Os 54 gols são superiores do que os números dos quatro promovidos de 2020, e se igualam ou superam, no mínimo, três dos quatro times que terminaram no G-4 nos últimos três anos.    

Porém, o mau rendimento defensivo condenou a campanha da Ponte, fazendo com que os pontos escapassem. A equipe saiu sem sofrer gols em apenas seis das 38 partidas.

Anterior

Faltou pouco! Sampaio Corrêa termina a quatro pontos do acesso

Corinthians, Santos, Athletico, Ceará, Dragão, Braga… a grande luta pelo G-8

Próximo

Deixe um comentário

P