Veja como a alimentação faz toda a diferença na recuperação da lesão de um atleta

| |

Entre os vários efeitos negativos que a pandemia trouxe para o futebol, um dos mais preocupantes é o aumento expressivo no número de lesões entre os jogadores. A falta de ritmo ocasionada pelas paralisações seguida pelo aumento repentino no número de jogos em um curto espaço de tempo, em consequência do calendário alterado, pode prejudicar a carreira até dos atletas mais preparados fisicamente.

Com isso, o papel da alimentação entre os jogadores de futebol ganha ainda mais importância, já que a dieta faz toda a diferença durante o processo de recuperação de uma lesão. Além disso, a alimentação adequada pode melhorar o desempenho físico e auxiliar na recuperação muscular, ajudando na maratona de jogos.

A primeira preocupação que o atleta lesionado deve ter é com o aumento de peso. Dependendo do nível da lesão, o jogador pode ficar impossibilitado de realizar atividades físicas por algum tempo. Sabendo disso, é necessário reduzir a ingestão calórica diária, já que a queima das calorias será muito maior. Se a rotina alimentar não for adequada já nesta etapa, o jogador pode voltar acima do peso, forçar o corpo e aumentar o risco de novas lesões.

Em grande parte dos casos, também é aumentada a carga de suplementação alimentar nos atletas lesionados, já que é necessário ingerir as melhores vitaminas e sais minerais para a recuperação das lesões, como a Vitamina C, que auxilia na regeneração dos tendões e dos ligamentos, e a Vitamina A, que está ligada diretamente à recuperação dos ossos.

Outra mudança na alimentação dos jogadores é o aumento no consumo de proteínas, como forma de combater as infecções que marcam os estágios iniciais das lesões. Para cada quilo do corpo, o atleta deve ingerir 1,5g a 2g de proteína a mais, dividindo o adicional entre todas as refeições diárias. Por isso, os peixes, as aves, os ovos, as carnes magras e até o whey protein se tornam parte da rotina dos jogadores em recuperação.

A alimentação adequada também pode facilitar o retorno do jogador aos gramados. Em algumas lesões, é comum que os atletas tenham uma irrigação insuficiente de sangue até os tendões e ligamentos. Quando isso acontece, é provável que o jogador não volte totalmente curado, também aumentando os riscos de reincidência no departamento médico.

Neste processo, a Vitamina C também tem um papel fundamental, pois ela ajuda muito na síntese de colágeno. Além dela, o zinco é outro nutriente muito importante, já que tem um enorme papel na cicatrização de feridas e na reação das enzimas. Para sanar esta necessidade, os jogadores consomem amêndoas, castanhas, grão-de-bico e sementes de girassol.Por fim, a alimentação também pode colaborar para a saúde mental dos atletas lesionados. O período fora dos gramados pode prejudicar muito a mente de um jogador, principalmente se ele estava em alta antes da lesão. A dieta adequada pode afastar os sintomas de potenciais transtornos, como o estresse e a ansiedade.

Anterior

Lives do jogo Football Manager ganham espaço no Brasil

Prognóstico de Volta Redonda x Flamengo: Apostas na Semi do Campeonato Carioca

Próximo

Deixe um comentário

P